Skip to content

O segredo do corpo presente

setembro 5, 2015

Em um texto chamado A verdadeira aparência das pessoas (em tradução minha), o massoterapeuta americano Dale Favier, acostumado a ver corpos nus diariamente, compartilha uma visão belíssima e necessária sobre a aparência do corpo humano em sua nudez. Traduzi alguns destaques para compartilhar porque me comoveu o olhar dele sobre o assunto e sinto que não há gente suficiente falando sobre isso. Espero que seja inspirador e útil para você como foi para mim.

Foto por Ramona Zordini, clique para ver a série completa

Foto por Ramona Zordini, clique para ver a série completa

(…)

Vamos começar com a aparência que ninguém tem: ninguém se parece com as pessoas nas revistas ou nos filmes. Nem mesmo modelos. Ninguém. As pessoas magras têm a crueza dos ossos mais aparentes e a superfície de sua pele parece ter uma espécie de “acabamento fosco”, o que é muito bonito. Mas elas não têm seios e bundas roliços e arredondados. Se você têm seios e bunda roliços e arredondados, sua barriga e coxas também são roliças e arredondadas. É assim que a coisa funciona (e isso também é muito bonito.)

As mulheres têm celulite. Todas elas. É bonitinho, são como covinhas. Não é um defeito. Não é um problema de saúde. É a consequência natural de não ser feita de pixel photoshopados e de não ter sido criada por um aerógrafo.

(…)

Adultos têm flacidez. Não importa o quão em forma estejam. A cada década, a pessoa adulta vai ficando mais flácida. Todos os tecidos vão ficando mais frouxos. Além disso, eles vão enrugando. Eu não sei quem começou o boato de só pessoas velhas ficam enrugadas. Você começa a enrugar quando começa a flacidez começa, assim que você cresce totalmente e o processo vai progredindo naturalmente enquanto você estiver vivo. E esperamos que você viva muito tempo, não é mesmo?

Todo mundo é lindo em uma mesa de massagem. Não há exceções a essa regra. Naquele primeiro suspiro longo, no momento em que a pessoa pensa “Agora eu posso parar de segurar, estou em segurança” — começa uma espécie de luminosidade, um brilho. Dentro de alguns minutos todo o corpo vai ficando radiante com essa luz. Ela inunda todo o ambiente: ela inunda o massoterapeutas também. Dizem que os massoterapeutas são cuidadores e eu acho que somos, mesmo: gostamos de cuidar das pessoas, somos facilmente movidos à ternura. Mas vou contar um segredo aqui: eu faço pelo brilho.

Vou contar para vocês com o que as pessoas se parecem, de verdade: elas se parecem com chamas. Ou com estrelas, em uma noite de céu limpo, no meio do nada.

Porque eu vivo há décadas em um corpo de mulher, me acostumei a aceitar como normal o constante escrutínio do meu corpo. “Isso aqui tá gordo, ó. E aqui tá mole, e ali tá feio.” Mesmo que você não viva em um corpo de mulher, certamente você conhece essa sensação. A rejeição do próprio corpo é uma epidemia.

Por isso, neste momento, te convido a fazer comigo um pacto: não esquecer nunca para que serve o nosso corpo. Sempre que olhar para o seu corpo nu no espelho, ou sentir a textura de sua pele,  proponho uma respiração profunda para lembrar que essa luz, esse calor, só podem existir no recinto porque seu corpo está ali.  Com o bombardeio de representações ficcionais do corpo que nos cerca, é fácil esquecer que nossa verdadeira aparência é radiante. E quanto mais a gente esquece,  mais vai se apagando.

Intimatron

junho 28, 2014

Em 2013 eu comecei a me envolver mais intensamente com performance e entre maio e junho de 2014 tive o prazer de participar de um projeto fantástico da Zecora Ura: o Intimatron. Trabalhei no texto e fui a voz da máquina, foi muito divertido e gravamos no lendário Estúdio Dreher.

Infelizmente, o Intimatron não tem previsão de vir a Porto Alegre, mas a exposição Agência Humble (que conta com mais duas instalações além do Intimatron: Morro da Filosofia e Táxi do Carnaval)  está aberta ao público na Funarte – MG (Belo Horizonte) entre 15 de junho e 15 de julho de 2013. Compartilho aqui alguns teasers da exposição e convido todo mundo a visitar, divulgar e conhecer melhor o trabalho dos artistas envolvidos.

 

Noiva nevada

janeiro 23, 2014

Noiva nevada é a primeira performance stritu sensu concebida e executada por Mariana Bandarra. A ação aconteceu pela primeira vez no dia 19 de outubro de 2013, em frente ao coreto do colégio Júlio de Castilhos, na Av. João Pessoa.

A inspiração para Noiva nevada surgiu a partir de minhas experiências com hoopdance, produção de presenças, ativismo feminista e ocupação de espaços públicos. É uma provocação (quase) silenciosa que se apropria dos signos culturais de beleza, fertilidade, feminilidade e sexualidade.

O trabalho de/com André Masseno teve uma influência imensurável. A amizade, orientação e participação do amigo João de Ricardo também.

The wi-fi password

junho 8, 2013

470x200vilabuarque

ok, i’ll wait until you’ve told me
the wi-fi password at your apartment
so small and charming
like an early 20th century garçoniére in New York City or Paris

no need to hurry, i’m here it’s all good
except parts of me needed to be elsewhere

(oh if i had even the least bit of self-preservation in my bones but i guess we’re lucky i don’t, sometimes)

my best friends are all moving to the big city.
i dream california in a small town where i’ll grow tomatoes
occasionally watch the sun set on the pacific
not much else i’d like to accomplish
other than making it past my 50s and not become a more eccentric version
of grandmother
mother
every woman who’s ever been unhappy
alone
shunned for lack of manners
fired from womanness
no severance check

yes, i’d very much like to know
the password to the wi-fi at your lovely apartment, my love
to shout from the rooftops I’M HERE AT LAST
and it’s lovely
with its view to majestic trees and an eerie airs,
almost like you’ve become a better looking version
of every man who’s ever been happy in solitude
and never blamed for the hearts they’ve broken
a clean slate for you, every bill of rights for you
my dear, beloved friend

with love, with love, with love and no stove
just a white refrigerator that looks a bit like a monolith of coolness
right by the door

thank you for having me
i just have to answer a work thing
and then we can hang
yet by any chance
would you be such a darling
so as to let me have
the undoubtedly clever
password

São Paulo, 28 de novembro de 2012
para M. Noah
(editada em 6 de junho de 2015)

O Apocalipse dos Cavalheiros

setembro 9, 2012

Scumbag Brain Wet Dream

setembro 9, 2012

 

abaixo, a versão mais explícita: Leia mais…

Baby, Baby, Baby, Baby, oh Baby

setembro 9, 2012

 

1. Cozinhando e ouvindo música, tendo recém me mudado para o AP novo
2. Quando de repente começa a tocar Superstar, dos Carpenters
3. * Cantando a plenos pulmões
4. * Vizinho de cima me arremedando

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.422 outros seguidores