Skip to content

The Cost of Living (ou Esqueça tudo o que você pensa que sabe sobre vídeos de dança contemporânea e teatro, SE FOR CAPAZ!)

julho 2, 2007

cost.film

Há alguns meses, minha saudosa irmã Amelinha esteve aqui em casa, e trouxe alguns DVDs. Um deles, ela disse, eu PRECISAVA ver, porque ia adorar.

“Ok”, pensei. “O que é?”.

“É um grupo de dança e teatro…”, ela começou, e me perdeu.

Sim. Porque, sinceramente, vídeos de teatro e dança são EXTREMAMENTE CHATOS pra quem não é bailarino/ator. E a maioria deles, suspeito que mesmo os iniciados admitam: são um porre para qualquer pessoa que não tenha dirigido ou dançado/atuado. Com base em toda essa parafernália de preconceitos muito bem resguardados (não abro mão dos meus preconceitos!), perguntei à Amelinha:

“Como assim, tu tem certeza de que eu vou gostar?”.

“Ai, tu vai delirar! Tem até um dançarino sem pernas.”

“Ótimo”, pensei. “Agora além de dança e teatro, ainda tem coisas politicamente corretas.”

Meu interesse deu um salto negativo. Fiz que não com a cabeça. Mas, me conhecendo (e já tendo me forçado a assistir dezenas de vídeos de dança maçantes), ela tomou um atalho pragmático:

“Tem só 35 minutos. Se tu não gostar, a gente pára.”

“Ok, você venceu.”

cost.film

E assim, fez-se a luz no mundo dos vídeos de dança contemporânea/teatro. É, eu sei que as palavras assustam. Mas por favor, não se deixem enganar. The Cost of Living é um dos filmes mais sublimes que eu já vi. São os 35 minutos mais bem investidos na vida de qualquer pessoa que tenha cérebro e sentimentos (assim como esse outro filme aqui).

A DV8 é uma companhia de Teatro Físico do país de Gales, e às vezes eles fazem filmes com seus espetáculos. Na verdade o cérebro criativo da coisa toda é um cara chamado Lloyd Newson. Ele concebe e desenvolve todos os espetáculos da companhia, e para cada projeto a DV8 recruta uma equipe de bailarinos/atores. O resultado é poesia visual e auditiva. Coisa da melhor qualidade.

Para quem tem dinheiro e cartão internacional, eu recomendo INTENSAMENTE que adquira uma cópia. Mas, para quem é do teatro ou da dança, eu recomendo que assista o vídeo, nem que para isso precise arriscar a própria vida (pra colocar de modo bem dramático, por assim dizer). Já para as pessoas que são da turma da dança/teatro e não gostarem do vídeo, não tem solução. Ordeno o suicídio ritual imediato, ou não ousem continuar suas carreiras medíocres, seus merdinhas.

Eu, particularmente, sugeriria o suicídio ritual, mas todo mundo é livre, não é mesmo? A não ser quem mora no presídio. E quem ganha salário mínimo. E quem tem filhos. (Parece que o suicídio é mesmo a melhor opção).

cost.film

O texto abaixo é retirado do programa da montagem teatral para The Cost of Living, que posteriormente deu origem ao filme.

DV8 Physical Theatre challenges what dance is and what dance should be about.

… caught between who we think we are and who we think we ought to be; hiding in conformity we put on the mask, smile and pretend so we too can be invited to the ball. But what happens to those who don’t get invited, who aren’t perfect, who can’t pretend?

DV8 presents a piece about perfection and pretence; about how society measures individuals and we, in turn, value ourselves ….

the cost of living

People pass through a park, their histories held in their bodies. The biggest single cause of death in Australian men between the ages of 18 and 35 is suicide. When the plaster fell off the walls for the fourth time, the plasterer said it was my fault not his. If you say something enough you’ll believe it.

When I was younger I thought I was invincible, my X-rays show I’m not. An ex-lover died of AIDS last week, he kept his status hidden. Cover yourself, the body doesn’t lie.

A man promised to be faithful to his female partner. She found a long blond hair in their bed. She challenged him on this. He accused her of being neurotic and delusional. She is now on Prozac and going to therapy. She still doesn’t know the truth. Protect yourself, deny everything.

Can TV news be reality when plain women aren’t allowed to present it?
Put on the mask if you want to be invited to the ball.
At what age did the look of innocence leave your eyes?
Jump while you can.

3 Comentários leave one →
  1. lene permalink
    novembro 23, 2008 2:12 pm

    Olá,
    Vc sabe me dizer como faço para adquirir o dvd do DV8 aqui no Brasil?
    Um abraço,
    Lene.

  2. Bruna permalink
    março 7, 2009 3:37 pm

    Bom eu faço teatro e a professora também nos passou este video e concerteza é MARA *—* concerteza DV8 arrasou

  3. Lila Ramos permalink
    novembro 10, 2009 11:09 pm

    os vídeos do DV8 são categorizados como video-dança. e eles trabalham uma linha singular nesse espaço artistico, pois trabalham a dança-teatro, uma dança que utiliza a fala e tecnicas do teatro para compor seus espetáculos, e nesse caso o vídeo, trazendo a dança-arte mais próxima da realidade do espectador.
    Recomendo os outros vídeos do grupo, entre eles ENTER AQUILES.
    gostaria apenas que isso ficasse claro, pois não se trata de tatro, e sim dança-teatro que por sua vez tem uma abordagem diferente na dança. espero ter esclarecido e colaborado com a informação.
    Sou graduada em Tecnólogo em dança, e meu foco de trabalho é a video-dança. faço pesquisa na área, inclusive análise sobre os videos do DV8.

    com certeza DV8 é uma otima opção e de muito bom gosto e sensível.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: