Puffin’ Muffin’

#WorstKitchenInScotland nº1 (quem tem colesterol alto pode, quem é diabético não)
Então, depois de muito tempo resolvi tirar o trauma do bolinho individual, porque achei (de forma totalmente inusitada, na seção de “festa” do bourbon) as tais forminhas de papel pra vender (vem 100 por R$ 2,50, baita negócio).
Adaptei esta receita aqui para a estreia. Até já tinha feito antes com mistura pré-pronta mas não é a mesma coisa que fazer do zero. E eu gosto de ler no mínimo umas cinco receitas na internet antes de começar. Assim que tenho uma compreensão rudimentar da lógica, escolho uma bem básica e faço o que bem entendo. Então, vamos lá:
Puffin’ Muffin’
INGREDIENTES
– 100g manteiga clarificada (ghi)
– 1 xícara açúcar
– 2 ovos tipo (usei caipira; cada um faz o que quer, mas se eu fosse você não comia esses de granja)
– 3/4 xícara farinha branca (usei de confeitaria, use a que tiver)
– 1 1/2 colher de fermento
– cacau em pó (usei 100% da garoto)
– aveia (usei em flocos finos, mas grossa deve ficar melhor
– 1/2 xícara de nata (creme de leite)
MODUS OPERANDI
Primeira coisa: enfia as papeletas em uma forma furada. Segunda coisa: liga o forno no máximo. Pronto, agora podemos começar.
Pega uma bacia e taca a manteiga e o açúcar e mexe até que os dois pareçam uma coisa só. Aí um ovo (atenção: apenas o conteúdo do ovo — a casca vai fora) e mexe de novo. Aí outro ovo. Assim, como quem não quer nada. Feito isso, o mais importante está pronto. Essa é a base da massa, e é daí que derivam todas as coisas boas: manteiga e açúcar. E ovo. Nem sempre o ovo é obrigatório, mas vamos em frente.
Eu tenho um copo medidor que vai até 1 1/2 xícara, o que me permitiu misturar a farinha com o fermento dentro do próprio copo. É importante sujar pouca louça se você tem uma cozinha que é do tamanho do seu banheiro. Não, não é piada. Na verdade, o banheiro é um pouco maior, já que corresponde à cozinha E área de serviço. Enfim, é importante sujar poucas coisas. Pensa nisso como microambientalismo. Não é sustentável fazer uma lambança dos infernos se não cabe uma lava-louças decente na sua cozinha. Nem uma indecente, aliás. Então uma colher pequena (de preferência de cabo longo, tipo de sorvete) é perfeita: é só encher o copo até a marca de 3/4 de xícara com a farinha e aí acrescentar o fermento. E mistura com sutileza pra não aspirar farinha (acredite, isso acontece. às vezes chego a pensar em usar uma máscara cirúrgica pra fazer essas misturas secas). E em seguida o chocolate (usei pouco mais de 1/4 de xícara, mas…já sabe). E para o gran finale, completa a medida de 1 1/2 xícara com aveia. Pronto, essa é a parte seca da massa.
Agora a parte seca vai dentro da molhada. É sempre assim. Protocolos, rituais, memes…a coisa toda. Mistura até sentir que a massa tá harmoniosa, voluptuosa, lisa e sensual. Se tem batedeira, essa é a hora de tirar ela de cima do armário. Vai economizar uns belos 10 minutos de misturança. Depois de transar esse lance intenso com a massa, que a essa altura já é tua mulatinha mucama, é o momento do clímax: solta o creme em cima dela (no bom sentido, claro) e mistura até ficar homogêneo.
Pronto? Sim. Mas já aviso, tenha tranquilidade e atenção na hora de preencher as forminhas de papel. E não entre numas de perfeccionismo. Vai dar tudo certo. Não precisa ficar lisinho, não precisa ficar a mesma quantidade em todas as forminhas. A vida é trágica, meu amigo. Nada é perfeito e que bom porque seria um saco.
Atenção ao piloto de fogão iniciante: todas as receitas dizem “leve ao forno pré-aquecido”. É fácil dizer, se tu já sabe no que isso implica. Eu queimei bolos durante toda a infância e adolescência, e só no ano passado aprendi o segredo do forno pré-aquecido: TEM QUE BAIXAR O FOGO. O princípio do troço é que, se tu liga o forno antes, na hora de colocar o troço lá dentro já vai ter uma temperatura constante em todos os pontos do forno. Isso garante que o bolo (ou o que for) comece a assar no instante exato em que entra no forno. Ótimo. Lindo. Mas se o fogo continua alto, a coisa vai queimar por fora e ficar crua por dentro. Então, a não ser que a receita diga algo diferente, o forno pré-aquecido implica em: FOGO ALTO ANTES + FOGO BAIXO DURANTE a assada (assadura? assamento? asso? você decide).
Aí entre 20 e 25 minutos fica pronto. A massa dos bolinhos racha em cima, fica levemente dourada. Essas coisas. Aí tira do forno e espera uns 10 minutos pra desenformar. E aí salve-se quem puder.
VERSÃO CONDENSADA DA RECEITA (pra consultas da cozinha)
Puffin’ Muffin’
– 100g manteiga clarificada (ghi)
– 1 xícara açúcar
– 2 ovos tipo (usei caipira; cada um faz o que quer, mas se eu fosse você não comia esses de granja)
– 3/4 xícara farinha branca (usei de confeitaria, use a que tiver)
– 1 1/2 colher de fermento
– cacau em pó (usei 100% da garoto)
– aveia (usei em flocos finos, mas grossa deve ficar melhor
– 1/2 xícara de nata (creme de leite)
Papeletas na forma, forno ligado bem alto. Mistura manteiga e açúcar, e um ovo de cada vez. Mistura todos os ingredientes secos entre si e despeja na manteiga. Mistura até ficar homogêneo e acrescenta a nata. Assa em fogo baixo por 20-25 min. Espera 10 min pra desenformar. Bjomeliga.
Anúncios

Um comentário sobre “Puffin’ Muffin’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s